Conseqüências da traição na área judicial

quin, 13/01/2011 - 05h09

Conseqüências da traição na área judicial

Em um casamento, principalmente os mais longos, a traição traz mágoas e feridas às vezes difíceis de serem cicatrizadas. Se a infidelidade é comprovada, as conseqüências não trazem apenas sentimentos de tristeza ou raiva. Logo pode ser feito o pedido do processo de separação litigiosa. Conforme regulamenta o Art. 1572 do Código Civil, o cônjuge traidor acaba perdendo certos direitos como uma boa parte da pensão alimentícia.

De acordo com a advogada Juliana Marcondes Vianna, associada ao Escritório Katzwinkel e Advogados Associados, a fidelidade remete à lealdade de um dos cônjuges para com o outro e o descumprimento deste dever ocorrer genericamente de duas formas: por meio da conjunção carnal de um dos cônjuges com um terceiro (adultério) ou de atos que não revelem, a primeira vista, a existência de contato físico, mas que demonstrem a intenção de um comprometimento amoroso fora da sociedade conjugal (quase-adultério).

Isso significa trocas de mensagens via internet, através de e-mails ou sites de relacionamento, também são usadas como prova. Mas conforme explica a advogada, o computador deve ser de uso comum da família sem que exija uma senha para ser acessado, pois dessa forma, irá se tratar de uma ofensa à garantia constitucional da intimidade e vida privada e a prova ser invalidada. "Seguindo estas regulamentações, a apresentação desse material em Juízo é legal e válida", destaca a advogada.

Segundo Marcondes, além de perder o sobrenome do outro, o cônjuge traidor receberá pensão alimentícia apenas em valor indispensável para sua sobrevivência, isso se não tiver aptidão para o trabalho e nem parentes em condições de auxiliá-lo.


Apesar dos cuidados ao tratar da possível culpa, nos casos em que a infidelidade não foi apenas causa da ruptura do casamento, mas também, motivo de aniquilação da honra do cônjuge ofendido, que implique para ele em dificuldades e abalos psíquicos consideráveis, será possível a reparação pelo dano moral sofrido. "O cônjuge traidor não será declarado culpado pelo fim do casamento e nem sofrerá sanções específicas na separação por seu comportamento. No entanto, isto não quer dizer que quem sofre com a traição deva amargurá-la para sempre. Se o dano sofrido foi substancial, sua reparação, no âmbito da responsabilidade civil, pode ser avaliada", finaliza Juliana Marcondes Vianna.

Por Juliana Lopes

NENHUM COMENTÁRIO NO VILACLUB

Comente!

Especiais VilaMulher

Quiz de Celebridades!

Quem é mais jovem?

VILACLUB - O conteúdo da rede do Vila Mulher

Top Temas

50 tons de cinzabeyoncé 50 tons de cinzabolo de cenourabolo de chocolatecabelos curtoscortes de cabeloescova progressivamaquiagemtrançasunhas decoradas