Minha filha é lésbica!

Sex, 24/10/2008 - 09h05

Minha filha é lésbica

“Levei um susto! Foi uma total surpresa para mim, mas diferente da maioria, o que me veio à cabeça naquele momento foi imaginar o sofrimento da minha menina desde os 12 anos, idade em que se descobriu lésbica, antes disso, ela só sabia que era diferente”.

O depoimento é de Angela Moysés, mãe de Thaís, de 21 anos.

Publicidade

A jovem assumiu ser lésbica aos 16 anos. Antes de saber o que estava acontecendo de fato, Angela observava um comportamento estranho da filha - sempre calada, chorando a toa e usando a desculpa que estava estressada pelo excesso de atividades, que na verdade se tratava de uma válvula de escape.

“Um dia, após chegarmos do cursinho, eu disse a ela que enquanto não me contasse qual era o problema não levantaríamos da mesa. E foi aí que ela me relatou que gostava de meninas e não de meninos”. Na mesma hora, a mãe fez a seguinte pergunta: "Filha, você tem idéia de que seu caminho será muito sofrido?" E ela respondeu: "mãe, se fosse opção você acha que teria escolhido o caminho mais difícil para viver?"

A partir daí, Angela começou a ler sobre o assunto, além de se preparar para falar com o seu marido e sua filha mais nova, Tatiana, que na época tinha 13 anos. Para a sua surpresa, ele encarou a situação normalmente. “Inclusive ele disse que iria entrar no mundo gay pela porta da frente, de mãos dadas com ela e que não era necessário continuar vivendo uma vida dupla. Nós queríamos conhecer as pessoas com quem ela estava andando, e assim foi. Sabíamos que essa nossa postura traria problemas - já sofremos com o preconceito - mas enfrentamos tudo juntos”.

Angela passou a convidar amigos gays e lésbicas da filha para a sua casa e percebeu que grande parte deles tinha histórias tristes para contar. Certo dia, a filha trouxe uma cartilha do Grupo de Pais de Homossexuais (GPH), ONG que promove reuniões presenciais ou virtuais e conta com o apoio de psicólogos. Edith Modesto, a fundadora do grupo, compilou alguns depoimentos e os reuniu no livro "Mãe sempre sabe? Mitos e verdades sobre pais e seus filhos homossexuais", lançado este mês.

“Foi um grande passo participar da ONG. Queria mostrar a eles que é possível sim ter um filho ou filha homossexual e ser feliz. É extremamente gratificante, principalmente quando conseguimos ajudar um pouquinho aquela mãe que está um farrapo, destroçada, e que passa a enxergar uma luz no fim do túnel!”, diz.

Sobre a falta de leis que reconheça a união de homossexuais Angela é enfática: “Eles trabalham, pagam impostos, vivem toda uma vida juntos e na hora que um deles morre, não há direito a pensão e nem a herança. Isso é injusto. Temos que reconhecer de direito o que já existe de fato!

"Mãe sempre sabe? Mitos e verdades sobre pais e seus filhos homossexuais"
Edith Modesto
Editora Record

Por Juliana Lopes

26 comentários no Vilaclub

Comente!
alex alex
Ter, 01/07/2014 - 05h31 - reportar abuso

os pais que tem filhos homossexuais,tem que procurar ajuda-los e não empurra-los para esse mundo.Pois sabemos da verdade DEUS unio o homem e a mulher,crescei e multiplicaivós,amanhã nós pagamos a conta!A violência,doênças incuravéis,diversos males espalhados pelo mundo,são o resultado de decisões tomadas pela a humanidade que não agradaram a DEUS.

responder ao comentário
alex alex
Ter, 01/07/2014 - 05h22 - reportar abuso

os pais que tem filhos homossexuais,tem que procurar ajuda-los,e não empurra-los para o mundo gay.Pois sabemos da verdade,DEUS unio o homem e a mulher,crescei e multiplicai-vos,hj a sociedade de maneira hipocrita aceita esse tipo de união,amanhã nós pagaremos a conta!a violência,doênças incuravéis,diversos males espalhados pelo mundo,é o resultado de decisões tomadas pela humanidade que não agradaram a "DEUS"

responder ao comentário
andrew magnani gonçalves andrew magnani gonçalves
Sex, 17/01/2014 - 17h17 - reportar abuso

oi tb

responder ao comentário
Marta Marta
Sex, 27/07/2012 - 21h08 - reportar abuso

Angela Moisés, é muito descaramento vc dizer que o número de homossexuais, lá são poucos, alguns para não serem mortos mudam-se para outros países, outros q são descobertos são mortos. Vc não precisa me dizer pq eles se matam. Eu sei e vou lhe dizer, pq não recebem ajuda psicológica necessária, para uma tentativa de reorientação sexual. Também, tem plena consciência que não são normais, querem mudar e não conseguem. Aparentemente, dizem-se felizes e ao fim de tudo uma depressão muito grande, que leva ao suícidio. Quem está fazendo estrago na cabeça destes jovens são pessoas como vc., que ao invés de ajudá-los, acaba de empurrá-los para o buraco. Famílias estão sendo sofrendo muito vendo seus filhos serem adotados pela militância gay. O CRP é o primeiro a impedir um tratamento, para o jovem no sentido de reorientá-lo, caso ele queira. Mas, quem sabe agora, com psicólogos sérios como a Dra. Marisa Lobo, as coisas mudem de figura.

responder ao comentário
natali santos sousa natali santos sousa
Sáb, 21/07/2012 - 14h02 - reportar abuso

eu acho isso muito errado ela tem que enteder que tem que gostar de macho e nao de femea mesmo sexo mas a vida e dela

responder ao comentário
Marta Marta
Qua, 18/04/2012 - 01h17 - reportar abuso

PARA ANGELA MOYSES: Você está se adiantando à ciência sim e sabe bem disto. A orientação sexual do homo não vem com ele, depende de inúmeros fatores desde a gestação, até mesmo fatores genéticos. Mas, não vou aqui, ficar falando sobre tudo que sei, levaria muito tempo. Porém, certo é que não é uma condição natural, como vc diz. A sociedade não evoluiu, mas caminha decadente. Não foi após inúmeros estudos que retiraram do código do Cid, a questão do transtorno de identidade, foi retirado, mas sim por interesses políticos e sociais. Vc sabe o qto de lucro se ganha com a parada gay? Pois, os donos de hotéis que hospedam gays em seus hotéis são muitos. Eles têm até nojo de hospedar o gay, mas o q manda é o dinheiro. Estrago quem faz nas cabeças das pessoas são aquelas que ao invés de dizer uma palavra amiga, que nada custa uma ajuda necessária em uma hora difícil. Detesto hipocrisia, minha filha é lésbica e nem por isto saio apregoando que isto é está certo. Mas fiz pesquisas. Conversei com psiquiatras, neurologistas e psicólogos sérios e todos me falaram que a ciência traz pouca luz sobre o assunto, entretanto, encontrei médico que conseguiu curar pacientes homos, que por ele procuraram. Este médico, apesar de conseguir curar alguns pacientes, não conseguiu curar seu próprio filho, mas todos são unânimes em afirmar que isto não é normal. Vc disse que: O fato de ser normal e ainda assim precisar de muita luta para ser aceita, é porque o assunto homossexualidade vem carregado de estigmas religiosos, morais, hipocrisias de nossa sociedade que se diz "cristã". Mentira, pelo menos no meu caso não, sou católica, porém não vivo em igreja, não preciso sair de casa, para falar com Deus. Na verdade, o que a psicologia deve fazer antes de qualquer coisa é tentar estudar o paciente, a fim de verificar o que o levou àquela situação, não logo de cara ficar empurrando no paciente, que ele é assim, que ele é normal e que deve se aceitar. Pelo menos não são assim os psicólogos sérios. Não conheço nenhum homo feliz. É tão hipócrita a sociedade, qdo num ambiente de trabalho tratam um gay, normalmente, fingindo gostar da pessoa, mas é só ela dar as costas e lá vêm as piadinhas. Já que é para fazer piada, então, pq se comportar com falsidade. Eu não, me comporto de forma profissional, se for necessário, tendo em vista o trabalho eu converso com um homo, normalmente, porém, não fico a mostrar os dentes e depois fazer piadinhas. A rejeição que vem é do próprio homo, da sociedade e da família (nem sempre, pq alguns aceitam). É pura mentira e falácia da sua parte dizer que no oriente médio o número de homos é igual ao daqui, sei bem q a sexualidade é condenada à morte. Mas, os poucos que lá tem este problema vão embora aos Estados Unidos, para viver suas vidas, pois se continuarem lá, morrerão, mas o número de gays lá nem de longe chegar perto do Brasil. Eu sei, exatamente, pq se matam, pq eles mesmos não se aceitam. Aparentemente, durante um tempo levam uma vida feliz, mas vem a depressão e os derruba. Poucos são os lhe dão ajuda de forma honesta, procurando, vasculhando o histórico de vida da pessoa, para tentar ajudá-lo. A ajuda que tem se é que isto, pode se chamar de ajuda, é esta q vc faz enfiar na cabeça dos coitados que eles são assim mesmo e devem se aceitar. Estrago? A família faz estrago? Só se for uma família sem amor, pq a família faz de tudo para ajudá-los a sair desta situação, mas infelizmente, estes jovens encontram pessoas pela frente, que lhes dizem: Isto é normal, vc tem que se aceitar. Ajuda sincera nem pensar.

responder ao comentário
Mana Mana
Sáb, 31/03/2012 - 18h59 - reportar abuso

Estou ainda me descobrindo,to um pouco triste por não encontrar ninguem para namorar comigo,queria uma mulher de verdade que estivesse comigo pra tudo so que nao encontro,poderia me ajudar?Sou um pessoa muito gente boa

responder ao comentário
Marta Marta
Dom, 11/03/2012 - 20h52 - reportar abuso

Josinete, sei que vc ama sua filha. Sei o que está passando. Independente do que se tornem os nossos filhos, até mesmo, se morrerem não deixaremos de amá-los. Mas, procure levar sua vida de uma forma diferente, procure fazer coisas que vc sempre quis fazer e talvez, tenha até deixado de fazer, para poder fazer mais por tua filha. Faça coisas que te dê prazer. E procure pensar: Como posso usar o amor de mãe, para trazer minha filha? Se as coisas não tem como ficar da forma como deveria, tente ter contato com ela, para não sentir tanta saudade. Mas, fique ciente de que tentar contato com ela, não significa aceitar o que ela faz, vc não é obrigada a aceitar isso, para provar que a ama. Eu não tenho contato com a minha, embora tente. Se um dia for possível, agradeço a Deus, se não o que posso fazer, senão tentar ser feliz. Abraços.

responder ao comentário
Marta Marta
Dom, 11/03/2012 - 20h41 - reportar abuso

Bel, como eu já disse, tudo que é natural não é necessário fazer esforço para aceitar. Sim, estou perdendo a oportunidade de conviver com uma pessoa que convivi durante 20 anos, mas minha filha também, está perdendo a oportunidade de conviver comigo. Oportunidades a ela, dei muitas, entretanto ela, não aceitou e eu não posso obrigá-la a aceitar. Não preciso de muito, para saber que minha filha é uma pessoa capaz, mas, bem diferente das filhas de minhas primas e amigas. Todas são formadas, casadas e tem seus filhos, mulheres, totalmente, femininas. Enquanto, a minha filha, apesar de nascer linda e ter o tal padrão de beleza, que os homens gostam, pois é loira dos olhos verdes, traços do rosto harmoniosos, tem uma aparência, totalmente, rídicula. Usa corte de cabelo masculino, roupas masculina é como se fosse um rapaz. Quantas, mulheres gostariam de ser bela como ela? Muitas. Quantas pessoas queriam ter a cor do olho dela? Muitas. Mas, ela não deu valor ao que a vida lhe deu, nem mesmo a mim, que sou sua mãe. Bom, também, acho que tenho o direito de ser feliz, faço meus tratamentos, tomo meus remédios e faço planos para o futuro. Todos têm direito de serem felizes, tanto os pais, quanto o filhos, mas se nossos filhos, nos dão tristeza, que fazer? Procurar alegria de outra forma, construir uma nova vida e ser feliz. Por 20 anos pensei nela, e ela nem por 20 minutos pensou em mim. Abraços.

responder ao comentário
Marta Marta
Ter, 28/02/2012 - 23h06 - reportar abuso

PARA ANGELA MOYSES:
ANGELA, VOCÊ ESTÁ SE ADIANTANDO À CIÊNCIA AO AFIRMAR COM PROPRIEDADE, QUE A HOMOSSEXUALIDADE É UMA CONDIÇÃO ESPONTÂNEA, POIS, SE ASSIM FOSSE, O ORIENTE MÉDIO, TAMBÉM, TERIA ESTE MESMO PROBLEMA. NÃO ESTOU AFIRMANDO QUE LÁ NÃO HÁ HOMOSSEXUAIS, MAS É COISA RARA. HÁ GRANDE DIVERGÊNCIA ENTRE OS PSICÓLOGOS COM RELAÇÃO AO ASSUNTO, ASSIM COMO HÁ GRANDE DIVERGÊNCIAS ENTRE OS MÉDICOS, SOBRE COMO TRATAR UMA DOENÇA, POR EXEMPLO, O CÂNCER. ONDE HÁ DIVERGÊNCIA, É PORQUE NÃO SE TEM UMA CONCLUSÃO EXATA DO ASSUNTO. HÁ UM TEMPO, O HOMOSSEXUALISMO, NO LIVRO DO CID ERA CONSIDERADO TRANSTORNO E DESVIO, PORÉM POR INTERESSES DE SEGUNDOS E TERCEIROS, QUE AQUI, NÃO VOU COMENTAR, SIMPLESMENTE, FOI RETIRADO DO CID, SENDO QUE A PRÓPRIA CIÊNCIA, AINDA, POUCO DESCOBRIU SOBRE O ASSUNTO. ANGELA TUDO QUE É NORMAL, NINGUÉM PRECISA SE ESFORÇAR PARA ACEITAR E VOCÊ SABE DISTO. UM PSICÓLOGO DEIXAR DE TRATAR UM HOMOSSEXUAL QUE SE SENTE INFELIZ NA SUA CONDIÇÃO E QUER UMA AJUDA É NO MÍNIMO UMA OMISSÃO DE SOCORRO. SE A PESSOA É FELIZ ASSIM E QUER CONTINUAR ASSIM É UMA COISA, AGORA NEGAR UMA OPORTUNIDADE ÀQUELE QUE NÃO QUER SER ASSIM, SEM AO MENOS TENTAR DESCOBRIR O PORQUÊ DA SITUAÇÃO É UMA GRANDE FALTA DE HUMANIDADE. TODOS MERECEM UMA CHANCE, SEM SER ENGANADOS, POR AQUELES QUE SABEM QUE ISTO NÃO É NORMAL, SEM SER INFLUENCIADOS POR OPINIÕES DA MILITÂNCIA GAY. LEMBRE-SE É GRANDE O NÚMERO DE SUÍCIDIO ENTRE OS HOMOSSEXUAIS E NINGUÉM ESTÁ NEM AÍ, PARA AJUDÁ-LOS.

responder ao comentário
Veja mais comentários

Especiais Vila Mulher

VILACLUB - O conteúdo da rede do Vila Mulher

Top Temas

50 tons de cinza beyoncé 50 tons de cinza casamento clitóris fantasia sexual filmes pornô kama sutra orgasmo posições sexuais sexo sexo anal sexo oral traição
X
Pedidos de casamentos criativos
Pedidos de casamentos criativos Veja aqui por vilamulher