"Eu sou atendente de telessexo"

seg, 01/11/2010 - 05h21

“Eu sou atendente de telessexo”

"Tenho 60 anos, sou formada em Antropologia Cultural e casada há 25 anos. Homens me ligam por uma infinidade de motivos. E claro, ligam para se masturbar". Com esse depoimento, o fotógrafo Phillip Toledano descreve uma bela foto, em seu segundo livro, chamado "Phonesex" (2008 TwinPalms).

A mulher que deu essa declaração disse ainda que o trabalho que faz não tem nada a ver com sexo. "É apenas um coquetel de testosterona, abastecido com vício em pornografia, solidão e necessidade de ouvir uma voz feminina". Segundo ela, a atividade é rentável e paga o dobro do que recebia no mercado tradicional. "Eu trabalho em casa e recebo transferências de dinheiro todo dia. Sou como Xerazade. Se não conto histórias que fascinam, o Rei me mata pala manhã".

Phillip fotografou quase 30 mulheres, operadoras de telessexo, em suas próprias casas. Todas escreveram, como ‘Xerazade’, uma pequena frase sobre o trabalho ou si mesmas. Bem humorados, emocionantes ou impactantes, os depoimentos intrigam. "Há um contrato entre a operadora e a pessoa que liga. É um contrato de auto-desilusão. Quem liga concorda em fazer de conta que está falando com uma jovem e linda garota, fruto de sua fantasia. E a operadora faz sua parte", observa o fotógrafo, que lançou o livro há dois anos.

Durante o trabalho, ele se surpreendeu com o número de mulheres que realmente gostam do que faz, pelas mais diversas razões - ajudar pessoas ou até descobrir coisas sobre si mesmas (sexualmente ou não). "Também me surpreendi com a tamanha imaginação que é preciso ter para fazer esse trabalho e perceber o que a outra pessoa, do outro lado da linha, quer". Segundo ele, telessexo é teatro. "É uma jogo passional artificial em tempo real, dirigido por uma pessoa cheia de talento para fantasia verbal, com apenas uma possível conclusão", pondera.

[galeria]

"Eu nunca pensei em trabalhar com isso. Em todos esses anos, fazendo atendimento ao cliente, muitos comentavam sobre minha voz sexy. Eu pensei estar sendo apenas profissional, não sexy. Esse trabalho também é de atendimento ao cliente. A diferença é que eles vão embora com mais do que um sorriso", diz o depoimento de uma das fotografadas.


Outra, que ouviu toda a história da primeira vez de um senhor, em sua primeira noite como operadora, foi mais longe. "Eu acho que é mais fácil contar desejos reprimidos para uma pessoa fictícia que não vai julgar. Desse jeito, não há conseqüência no mundo lá fora".

O livro de Phillip, que vive em Nova York, pode se encontrado na Amazon (http://www.amazon.com/Phonesex-Phillip-Toledano/dp/1931885745/ref=pd_bbs_sr_1?ie=UTF8&s=books&qid=1231013892&sr=8-1) e custa US$ 31.

http://phonesexthebook.com

Por Sabrina Passos (MBPress)

8 comentários no Vilaclub

Comente!
adriana santos
sab, 26/07/2014 - 23h37 - reportar abuso

Eu gostaria de trabalhar em um tele sexo em são paulo capital sei que tem um proximo do zoologico de sp mas não sei ao certo onde alguem pode me ajudar ?

responder ao comentário
CELIA HUNGARO
seg, 30/06/2014 - 19h29 - reportar abuso

GOSTARIA DE TRABALHAR DE TELESEXO EM MINHA CASA POIS MORO EM UM APT EU E MEU FILHO DE 18 TENHO MEU QUARTO SEPARADO,QUERO SER UMA ATENDENTE DE TELESEXO EM CASA.

responder ao comentário
tereza helena da silva
ter, 06/05/2014 - 00h29 - reportar abuso

gostaria de trabalhar em telesexo

responder ao comentário
Leda
ter, 11/03/2014 - 18h27 - reportar abuso

Gostaria muito de trabalhar como atendente de telesexo. Onde encontrar empresas que contratam?

responder ao comentário
Adriane
seg, 16/12/2013 - 14h44 - reportar abuso

Boa tarde. Gostaria de saber como faço para ser uma atendente de tele-sexo, acho que é um trabalho como qualquer outro e estou interessada. Obrigada.

responder ao comentário

Especiais VilaMulher

Quiz de Celebridades!

Quem é mais jovem?

VILACLUB - O conteúdo da rede do Vila Mulher

Top Temas