Tabus da nudez

Qui, 04/06/2009 - 16h40

Nudez

A definição oficial de naturismo diz que ele se trata de um modo de vida em harmonia com a natureza, caracterizado pela prática da nudez social, e tem por intenção encorajar o auto respeito, o respeito pelo próximo e o cuidado com o meio ambiente. E também resume bem o que pensa José Antonio Tannús, presidente da Federação Brasileira de Naturismo.

Publicidade

Para quem não sabe como a coisa todo funciona, fica fácil atrelar a nudez com desejo sexual ou perversão. “Até na mídia a nossa presença é distorcida e caricata, justamente pela vinculação indevida entre naturismo, nudez e sexo. E isso afasta muitas pessoas do naturismo”, lamenta José. Para ele, nudez não é sinônimo de sexo.

Os praticantes do naturismo podem contar com um código de ética, que serve para definir o comportamento, gerar advertência, suspensão ou até exclusão do movimento. E esse código diz, por exemplo, que é falta grave ter comportamento sexualmente ostensivo ou praticar atos de caráter sexual ou obscenos em áreas públicas. O Código de Ética da FBrN foi escrito em 1996 e pode ser lido na íntegra no site www.fbrn.org.br.

Laércio Júlio da Silva, que é diretor financeiro da FBrN, escreveu num artigo que os praticantes do naturismo não enxergam a nudez sobre o ponto de vista de normas estéticas, ou seja, não traçam valores sobre corpos sem roupa. “Somos todos iguais na nudez, naturalmente imperfeitos, diferentes e por isso mesmo bonitos! Os valores sociais e matérias são deixados fora do espaço naturista e, a partir daí, a pessoa entra em um campo livre de imposições sociais que sufocam o ser humano. A prática do naturismo proporciona saúde física e mental”, escreveu.

Hoje, no Brasil, todas as praias oficiais de prática do naturismo foram assim definidas por meio de decretos municipais, já que a Lei do Naturismo do Brasil ainda não foi aprovada e está em tramitação no Congresso Brasileiro. “A maioria destas praias tem uma ou mais associações que ‘administram’ a praia, orientando os naturistas”, explica José.

No Nordeste, nas praias de Tambaba, na Paraíba, e de Massarandupió, em Salvador, o naturismo pode ser praticado sem caracterizar atentado ao pudor. No Sudeste, as praias de Barra Seca, no Espírito Santo, Olho de Bio e Abricó, no Rio, assim como as praias do Sul de Galheta, Pinho e Pedras Altas, em Santa Catarina, também são redutos naturistas.

“Existem também outras praias, ao longo de nosso litoral, onde o naturismo é tolerado, ou seja, é praticado sem que esteja reservado para este fim. Mas nestes locais o praticante do naturismo poderá ter problemas com os frequentadores ou autoridades policiais”, lembra o presidente da Federação.

Segundo ele, não existe uma estatística oficial sobre o número de adeptos do naturismo no Brasil. “O potencial brasileiro é enorme, pois temos um dos maiores litorais do planeta, a maioria em clima tropical, propício a prática do naturismo o ano todo. A FBrN possui hoje 31 entidades filiadas, sendo 19 associações, três comunidades naturistas e seis pousadas e recantos.

Maria Luzia de Almeida tem 52 anos e há 19 pratica oficialmente o naturismo
em Vitória, no Espírito Santo. E antes mesmo disso já ia até praias distantes e desertas, com o marido, praticar o nudismo. “Mas era uma situação ambígua: agradável pelo prazer da liberdade que a nudez nos proporcionava, mas tensa e perigosa porque sempre poderia aparecer alguém e sermos surpreendidos”.

A partir do verão de 1990, o casal conheceu o naturismo na Praia do Pinho, no litoral catarinense. Na época, eles gostaram tanto do que viveram por lá que acabaram por fundar a praia naturista de Barra Seca, em 1994. Então, lidar com o preconceito ficou um pouco mais complicado, já que era pública a preferência deles pela vida ‘ao natural’. “Desde que decidimos ter uma praia naturista, também decidimos que jamais nos esconderíamos. Entendemos que o naturismo é saudável e que esta filosofia de vida só nos acrescentaria benefícios enquanto ser humano e cidadão”, diz.

Segundo ela, os naturistas não fazem nada de errado ou criminoso, por isso não há motivo para se esconder. “Esta postura nos ajudou a mostrar para as pessoas que o naturismo também é uma escolha. Por isto sempre fomos respeitados e até invejados. Já ouvimos relatos de pessoas que adorariam conhecer melhor e praticar o naturismo, mas a vergonha, os tabus e os dogmas impostos pela sociedade tornam-se barreiras muitas vezes intransponíveis”.

O atual presidente da FBrN tem 49 anos e decidiu há quatro mudar a cara das férias. Como os filhos já estavam crescidos, era hora de uma viagem apenas com a esposa. Ele propôs, ela aceitou e então, com a ajuda da Internet, decidiram participar de uma reunião de um grupo naturista, em Goiás. “Depois daquele encontro, nunca mais deixamos de participar. Nos apaixonamos pelo naturismo e aqui estamos”.

José diz que nunca teve preconceito quanto ao naturismo. Mas quando se trata dos outros, resolveu usar uma tática fácil: a sinceridade. “Quando perguntam se sou naturista, respondo que sim e falo sobre o naturismo, sua filosofia. Com isso, geralmente tenho o respeito dos outros. Muitos dizem que não teriam coragem, mas respeitam a minha opção”.

Por Sabrina Passos (MBPress)

Leia Também

3 comentários no Vilaclub

Comente!
TAINÁ E DIGO TAINÁ E DIGO
Sex, 11/03/2011 - 22h44 - reportar abuso

Só critica quem não conhece..somos freqüentadores desde 97.
A primeira experiência é como se voce tivesse em outro mundo fora do normal, hoje somos francos em dizer quando começamos a descer o morro que da acesso a praia a tensão acumulada pelo stress do dia a dia vai sendo substituída por uma carga positiva de adrenalina e excitação que vai nos fazendo esquecer de tudo.
o lugar é excelente os freqüentadores super discretos a infraestrutura é excelente os preços bem não são os menores mais tombem não impede que pessoas normais como nos passe 2 ou 3 finais de semana por ano sem comprometer nosso orçamento.
Experimentem, voce vai ter a sensação de que está totalmente protegido do mundo exterior pois aqui voce pode relaxar a vontade e até andar pelado sem ninguem pra te cobrar nada.

realmente é um paraíso bjs.

responder ao comentário
Delmonte Delmonte
Sáb, 11/07/2009 - 20h42 - reportar abuso

Amigos, o homem moderno (me refiro ao ser humano masculino e feminino) está tão habituado aos dogmas religiosos e sociais impostos sobre ele desde seu nascimento, e preocupado em sempre manter-se no auge e nos tópicos da moda, quer seja no intelectual como apenas no seu visual exterior, que acabou esquecendo-se dos verdadeiros valores de sua criação. Criou-se várias classes sociais, dividindo-se toda uma sociedade e a individualizando valendo-se apenas das aparências externas. O homem cultivou dentro de si o espirito de competividade e desigualdade, onde nasceram a violência, o terror e o pudor do seu proprio corpo, que antes era divino. A Filosofia de vida Naturista vem exatamente recuperar esses danos causados por essa doença mental de nossa sociedade moderna. Com a prática dessa filosofia aos poucos a pessoa vai se familiarizando uns com os outros de igual para igual e assim cultivando dentro de si tudo aquilo que lhe foi tirado logo ao nascer. Aos poucos todos aqueles que praticam essa filosofia de vida recobram sua existência em conformidade com a natureza, assim como foi criado.

responder ao comentário
Qui, 04/06/2009 - 16h42 - reportar abuso

JÁ FREQUENTEI PRAIAS DE NUDISMO EM SC , EM CABURIU, E NÃO VI NADA QUE CARACTERIZASSE FALTA DE PUDOR, MUITO PELO CONTRARIO, VÍ MUITO RESPEITO E PESSOAS SE PORTANDO NATURALMENTE. EM SP FUI A UM CLUBE DE NUDISMO EM GUARATINGUETA, FUI MUITO BEM RECEBIDA NA EPOCA( UNS 7 ANOS ATRAS) COM MEU EX-MARIDO QUE TB ADOROU O LUGAR... DESDE ENTÃO NÃO MAIS VOLTEI, MAS, TENHO VONTADE DE FREQUENTAR,

responder ao comentário

VILACLUB - O conteúdo da rede do Vila Mulher

Top Temas

50 tons de cinza beyoncé 50 tons de cinza casamento clitóris fantasia sexual filmes pornô kama sutra orgasmo posições sexuais sexo sexo anal sexo na cama sexo oral traição
X
Porno x Realidade
Porno x Realidade Veja aqui por vilamulher