Penteados de Diva

Mito ou verdade: cabelos lisos que caem podem nascer crespos?

Qui, 26/05/2011 - 05h00

Cabelos lisos podem nascer crespos

Ao longo da vida, o cabelo passa por diversas mudanças. Algumas pessoas tinham cachinhos quando crianças e depois ficaram com os cabelos lisos. Outros tinham o cabelo bem liso, mas, depois de um corte bem rente, ficaram com os fios diferentes. Será que isso realmente acontece ou é mito?

De acordo com a Dra.

Publicidade

Fernanda Torres, dermatologista e coordenadora do Centro Diagnóstico em Cabelos do Instituto de Dermatologia e Estética do Rio de Janeiro (IDERJ), é verdade sim, pois alguns processos que acontecem no couro cabeludo, e que causam queda de cabelo, podem alterar a qualidade dos fios e deixá-los crespos quando os fios começam a se formar novamente.

"O contrário também é verdadeiro, no qual o cabelo pode nascer mais liso em algumas condições. Isso acontece porque a aparência geral dos fios é determinada por diversos fatores, como a etnia e o formato do folículo piloso", explica. "Esta estrutura, se atacada por processos inflamatórios, pode sofrer alteração em sua forma, mudando a qualidade e o formato do fio de cabelo. Fatores ambientais, exposição a químicas, a tração e a fricção também podem alterar a qualidade final do fio".

Quando a pessoa corta o cabelo bem rente ao couro cabeludo, o efeito não é exatamente a mudança estrutural do fio, mas sim sua continuidade, dando a impressão de mais grosso. A dermatologista conta: "Como nosso cabelo é mais afilado na ponta, e o desgaste natural dos fios longos muda sua característica original, quando se corta o cabelo muito curto aquele mesmo fio que está emergindo recentemente possui um diâmetro maior que o da ponta. Isso dá a impressão que o fio ‘engrossou’, mas na verdade aquele é o diâmetro original da sua porção mais larga".

No caso da quimioterapia, essa mudança é muito brusca, com queda quase imediata dos fios. Segundo a especialista, isso acontece porque as células que produzem o cabelo se dividem muito rapidamente, absorvendo uma quantidade significativa de quimioterápicos. "Essas medicações agem diretamente na raiz do cabelo e podem causar mudanças estruturais profundas, como deixar os fios mais ralos e ressecados. Porém, a tendência é que eles voltem ao normal depois de um ou dois anos", conta.

Infelizmente, não há nenhuma prevenção específica. "O cuidado diário dos fios com um bom shampoo e uma boa hidratação deixam o cabelo mais resistente, mais forte para passar pelos processos naturais de desgaste, como o sol e vento, e procedimentos estéticos, entre eles escovas, tinturas, alisamentos etc. Algumas alterações hormonais são inevitáveis, como as do início da idade fértil e menopausa", ressalta a Dra. Fernanda.


Ou seja, o cabelo está em constante crescimento e renovação e pode sim mudar sua aparência ao longo da vida. Caso essas alterações sejam percebidas sem causas aparentes é preciso tomar cuidado, porque isso pode significar algum processo interno ou até mesmo uma doença em desenvolvimento. Assim, a medida correta é procurar um dermatologista e, sempre que necessário, fazer uma investigação laboratorial.

Por Carolina Pain (MBPress)

Nenhum comentário no Vilaclub

Comente!

Especiais Vila Mulher

Especial de Páscoa

VILACLUB - O conteúdo da rede do Vila Mulher

Top Temas

artesanato bolo de cenoura bolo de chocolate cabelos curtos cortes de cabelo emagrecer enfeites de natal lembrancinhas chá de bebê lembrancinhas de natal maquiagem moda verão 2014 orgasmo pensão alimentícia penteados penteados para madrinhas posições de sexo posições sexuais unhas decoradas vestidos