Câncer de Mama

Enxaqueca oftálmica

Ter, 24/05/2011 - 12h45

Enxaqueca oftálmica

A dor de cabeça atinge todos os brasileiros pelo menos uma vez no ano. E embora inúmeras causas não oftalmológicas possam causar a cefaléia, a dor de cabeça também está diretamente ligada a males oculares.

Publicidade

Portanto é usual a associação entre dor de cabeça e problemas visuais.

Alterações na visão seguidas de forte dor de cabeça, enjôo, mal-estar, intolerância a som alto e sonolência são sintomas de uma doença que atinge cerca de 1% da população mundial: a enxaqueca oftálmica ou enxaqueca retineana. Também conhecida como aura visual, a enxaqueca oftálmica se distingue das enxaquecas clássicas por afetar a visão e os sentidos.

O oftalmologista Virgilio Centurion, diretor do IMO, Instituto de Moléstias Oculares, fala sobre a enxaqueca oftalmológica. "Embora chamada de enxaqueca oftálmica, a doença tem origem neurológica. Trata-se de um distúrbio rápido, intermitente e reversível de circulação cerebral, que precede o aparecimento das crises de dor de cabeça", explicou.

"O que sabemos é que o período menstrual; o jejum prolongado; o uso de anticoncepcionais; alterações no sono; estresse; o consumo de frituras, café, chocolate e de álcool; problemas na coluna cervical e distúrbios da ATM (Articulação Temporo Mandibular) são gatilhos para as crises", afirmou o oftalmologista. Ele conta que por se tratar de um problema que afeta primeiro a visão, os pacientes procuram os oftalmologistas para diagnosticar a doença. Por isso o diagnóstico da enxaqueca oftálmica é tão comumente feito pelo oftalmologista.

"Como o paciente costuma informar a percepção de luzes (em formato de zig-zag), a perda de metade do campo visual (recuperada com o passar da crise), forte dor-de-cabeça (mais de um lado só, chamada de "hemicrania"), estado nauseoso e fotofobia, tudo ao mesmo tempo, ele teme perder a visão, o que pode ocorrer temporariamente, com alguns pacientes", explicou Virgilio Centurion.

A dor da enxaqueca oftálmica pode se manifestar na região de um ou ambos os olhos, pode ser abaixo, no entorno, nos olhos ou abaixo deles. A dor pode ser latejante ou em peso ou pressão, e sua intensidade varia de muito leve a muito forte. "Numa parcela bem pequena dos portadores de enxaqueca, a pálpebra superior de um dos olhos (do mesmo lado da dor) pode cair parcialmente. Esse fenômeno recebe o nome de ptose palpebral e ocorre durante a crise de dor. Terminada a crise, a pálpebra volta ao normal. Esta forma de enxaqueca é denominada enxaqueca oftalmoplégica", contou o oftalmologista.


Com o tempo, perceber que os sintomas visuais precedem as dores de cabeça é um sinal da enxaqueca oftalmológica. Neste caso, o paciente deve procurar tratamento. "Este tratamento é apenas sintomático, quer dizer, livra-o da crise, mas, não evita outras crises, a menos que se descubra uma causa definida para o problema. Por isto é tão importante a continuidade do tratamento. A cefaléia é uma doença tão complexa que é objeto de estudo integrado de vários especialistas: neurologistas, oftalmologistas, psicólogos, clínicos. Já existem até clínicas e hospitais dedicados exclusivamente à dor-de-cabeça", destacou Virgilio Centurion.

Por Catharina Apolinário

Nenhum comentário no Vilaclub

Comente!

Especiais Vila Mulher

Especial de Páscoa

VILACLUB - O conteúdo da rede do Vila Mulher

Top Temas

artesanato bolo de cenoura bolo de chocolate cabelos curtos cortes de cabelo emagrecer enfeites de natal lembrancinhas chá de bebê maquiagem moda verão 2014 orgasmo pensão alimentícia penteados penteados para madrinhas posições de sexo posições sexuais unhas decoradas vestidos