Ginecomastia - homens com peito

qua, 15/04/2009 - 05h06

Ginecomastia

O sonho deles é ficar com o corpo todo em cima, durinho. Mas aí, os hormônios jogam contra e pregam uma peça: desenvolvem excessivamente a região mamária, normalmente com formato feminino. O nome dado a essa alteração é ginecomastia e ela ocorre normalmente nas fases de mudanças hormonais do homem (infância, adolescência e velhice) sem que isso esteja ligado diretamente a uma doença.

Mas além dos hormônios, o uso excessivo de álcool ou drogas (incluindo aí os anabolizantes e esteróides) pode resultar no problema. Na adolescência, gera bastante constrangimento, podendo acarretar em dificuldades ainda maiores, psicológicas e de auto-estima. O mais indicado, então, é a cirurgia de correção, que visa remover gordura ou tecido glandular das mamas.

“O predomínio do estrogênio induz o crescimento da glândula e estroma mamário. Além de aumentar a deposição de gordura local”, explica o médico Valter Hugo Chaves do Nascimento, cirurgião do corpo clínico da Bioplástia, do Rio de Janeiro. Ele afirma que grande parte dos casos ocorre devido a uma disfunção hormonal entre a testosterona e o estrogênio, sendo temporária em grande parte das vezes. “A ginecomastia é bem mais comum do que se pensa, afetando cerca de 8 em cada 100 mil indivíduos”.

A médica Maria Paula Tanaka, cirurgiã plástica do Centro Especializado em Cirurgias Minimamente Invasivas, de São Paulo, explica que a ginecosmastia pode afetar ainda homens com manifestações clínicas de síndrome de Klinefelter (aberração cromossômica), neoplasias testiculares ou cirrose hepática. Aqueles que fazem “uso de anabolizantes, fumantes inveterados de maconha e dependentes químicos de heroína” também podem ser afetados pelo problema.

Segundo ela, a ginecomastia é classificada de acordo com a predominância do tipo de tecido, ou seja, pode ser glandular, mista e gordurosa. “Se glandular, tem consistência mais firme e em geral ocorre em pacientes magros. No tipo gorduroso, está associada a obesidade”. Valter ensina que a psudoginecomastia consiste em apenas um acúmulo de gordura na região, sem hipertrofia glandular, e a mista em aumento tanto no tecido glandular como no gorduroso na região peitoral.

Quando diagnosticada por fatores da puberdade, esse tipo de sintoma costuma desaparecer espontaneamente, durando no máximo dois anos. Quando não desaparece sozinha, é indicado que o paciente seja submetido a uma cirurgia, que costuma ser feita a partir dos 18 anos. “Quando existe ginecomastia unilateral, o bom senso deve indicar quando a cirurgia deve ser realizada, a fim de não comprometer o desenvolvimento emocional do adolescente”, alerta Maria Paula.

Segundo informação da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica, o procedimento cirúrgico é feito com uma lipoaspiração com a retirada da gordura ao redor da glândula e depois se retira a glândula com uma incisão em volta da auréola. Mas a técnica varia, de acordo com a severidade do problema.

Após a cirurgia é recomendável que o paciente use uma faixa de tórax ou uma camiseta elástica por 30 dias. É necessário que o paciente fique afastado de atividades físicas com os braços como dirigir e praticar esportes como musculação por um período de 15 a 30 dias.


Como é uma cirurgia que normalmente visa tratar de um problema estético, ela não é realizada pelo SUS. Mas, segundo Valter, da Bioplástica, ela pode ser obtida de forma gratuita em serviços de residência médica de cirurgia plástica em instituições públicas como UFRJ e UERJ.

Por Sabrina Passos e Cínthya Dávila (MBPress)

37 comentários no Vilaclub

Comente!
djpeta zika
qua, 30/04/2014 - 14h07 - reportar abuso

eu tenho mais nao sei como li da

responder ao comentário
Júlio César
sab, 14/12/2013 - 23h50 - reportar abuso

Oi, gente estava procurando por esse tema tenho 12 anos e desde os 9 a 10 anos eu estou com isso eu sinto-me muito triste pois não vou na praia por causa disso não tiro minha camisa na frente de ninguém alem da minha mãe e meu pai (família) e queria muito uma solução eu obviamente nunca fumei e nunca nem pesei em beber ou fumar o que eu posso fazer por favor me respondão

responder ao comentário
viny
quin, 12/12/2013 - 02h44 - reportar abuso

Remédios naturais

Se sua ginecomastia for causada por desequilíbrio hormonal, você pode corrigir este desequilíbrio tomando remédios naturais e de ervas. Um dos tipos mais comuns de desequilíbrio hormonal é a dominância do estrogênio, de acordo com o site do Dr. John Lee. Este desequilíbrio pode ocorrer em homens e mulheres e um dos sintomas dos homens é um aumento do peito. Veja com seu médico uma terapia de reposição de hormônios biodiênticos, suplementando com testosterona ou progesterona, dependendo do sexo. Você também pode usar um creme de progesterona que não precisa de receita para ver se ajuda. O creme de progesterona vem da soja e é metabolizado pelo corpo como seu próprio hormônio, ajudando a manter seu nível de hormônios esteroides. Passe meia colher de chá de creme numa parte de sua pele diariamente. Alterne os locais para evitar sensibilidade ao contato: os melhores locais são o lado de dentro dos braços, das coxas, no abdômen e no peito. Para melhorar a função do seu fígado, beba chá de cardo leiteiro ou tome-o como um suplemento. O constituinte ativo do cardo leiteiro é a silimarina. Os cientistas estão começando a estudar seus efeitos sobre doenças do fígado pois ele é usado há séculos. De acordo com um estudo publicado por R. Saller, et al, do Hospital Universitário de Zurique, na Suíça, a silimarina é efetiva no tratamento de doenças crônicas do fígado e cirrose. Se seu aumento no peito é devido a problemas no fígado, vale a pena tentar, mas os resultados não são rápidos.

Exercícios

O levantamento de pesos é um bom modo de diminuir sua taxa de gordura corporal, o que pode reduzir a aparência dos seus peitos. Inclua muitas verduras e frutas em sua dieta, e beba bastante água pura para que suas células funcionem mais efetivamente ao se exercitar. Um exercício que se pode incluir é o supino inclinado. Sente-se num ângulo de 45º e levante uma barra para cima lentamente por dez vezes. Descanse e repita este procedimento duas ou três vezes mais. Use um peso que seja pesado o bastante para que as últimas repetições já sejam difíceis, mas não impossíveis. De acordo com Tom J. Pousti, cirurgião plástico certificado, enquanto você trabalha seus músculos do peito, seu corpo se nutre da fonte mais próxima do local trabalhado. Assim você queima gordura do seu peitoral, além de deixar a região mais firme e forte.

responder ao comentário
Kalil
qua, 04/12/2013 - 11h22 - reportar abuso

Olá, tenho 30 anos, 1,83m e 95Kg. Sofro deste problema, gostaria de fazer a cirurgia mas devo dizer que superei. Quando quero ando sem camisa, aprendi a não me importar com o que pensam, mas confesso que me constranjo se alguém faz brincadeira... Estou praticando corridas, e a simpatia das mulheres não deixa que eu me sinta mal também, me sinta afeminado... Tudo começa na cabeça. Força, amigos!

responder ao comentário
isac
seg, 02/12/2013 - 00h01 - reportar abuso

Ola pessoal, eu tenho 18, anos e nao sei oq faço, estou com esta doença des do 14 anos preciso de ajuda, nao tiro minha camisa perto deningem, nao vou a praia,tenho que anda ate corcunda pra dininuir o volime, por favor mi adem

responder ao comentário

Quiz de Celebridades!

Quem é mais jovem?

VILACLUB - O conteúdo da rede do Vila Mulher

Top Temas

casamentoorgasmo femininodrenagem linfáticamusculaçãomaquiagempenteadostriglicéridessaladasansiedadeorganizaçãopartobolo de cenourakama sutrabolo de chocolatedecoração de nataldieta dukandieta detox