Adolescentes - Como lidar com eles?

Ter, 27/05/2008 - 18h23

como lidar adolescentes

Foto: Silke Woweries/Corbis

A adolescência é uma das fases mais complicadas da vida. Várias mudanças acontecem tanto no aspecto físico quanto no emocional.

Publicidade

A puberdade chega, o corpo se transforma e começa a preparação para a fase adulta. Nesse período, muitos questionamentos rodeiam os pensamentos dos jovens, que passam a descobrir o mundo fora dos muros da escola e de casa.

Os pais, vistos até então como detentores da verdade, se tornam alvos de questionamentos. "Esse é o momento em que o filho adolescente mantém sempre um clima de discordância em relação à opinião dos pais. É a maneira que todo jovem lida com a insegurança e a necessidade de auto-afirmação, tão comum nesse período do desenvolvimento", explica a psicóloga Maria Lúcia Putini Barsuglia.

As atitudes se devem à fase de transformação pela qual os adolescentes passam. Eles estão deixando de ser crianças para se tornarem adultos. "Isso só é possível através de alguns rompimentos. Como a própria história nos mostra, toda mudança significativa é antecedida por uma revolução", diz a especialista.

Mas como agir com os filhos nessa época? Nada como a boa e velha conversa, aconselha a psicóloga. Ela garante que o diálogo mostrará ao jovem que ele sempre terá um porto seguro em casa. "Os pais devem compreender que se trata de uma fase do desenvolvimento necessária e inevitável, para que seus filhos possam se tornar verdadeiramente adultos. É preciso que os pais cheguem numa boa medida de estabelecimento entre limites e liberdades, tarefa nada fácil", diz Maria Lúcia.

Apesar dos alardes, não é todo mundo que passa por essa fase difícil. Enquanto existem os rebeldes sem causa, há também aqueles que enfrentam as mudanças de maneira mais calma ou mais reclusa. "Cada um viverá a sua ‘revolução particular’ com as armas que dispõe, ou seja, tudo será vivido de acordo com as experiências acumuladas e vividas no contexto familiar, individual e social", finaliza a psicóloga.

Fonte - MBPress

82 comentários no Vilaclub

Comente!
Nicole Nicole
Ter, 28/01/2014 - 23h12 - reportar abuso

sou mãe solteira e engravidei com 15 anos, criei meu filho praticamente sozinha, com ajuda financeira da minha mãe (da qual infelizmente preciso até hoje). Meu filho é um menino de 14 anos, lindo e inteligente (apesar de ser baixo e aparentar ter por volta de 12 anos, e de ter grande dificuldade com a lingua escrita. Ele é bem articulado, mas esquece a grafia correta das palavras). Ele tem uma personalidade bem singular, e eu gostaria de opiniões sobre o porque. Primeiro, eu e ele temos um relacionamento muito mais informal que a maioria das mães e filhos tem. Ele me chama por apelidos, não tem a timidez típica sobre certos assuntos ou sobre o próprio corpo que todo adolescente tem diante da mãe (na verdade, quanto a timidez em relação ao próprio corpo, ele não tem nenhuma. Andaria pelado, se isso apenas fosse meramente tolerável). Nunca bati nele, e poucas vezes preciso pô-lo de castigo. Ele é obcecado por um código próprio de conduta, que dita o que ele e os outros podem ou devem fazer, e também o que não podem e não devem. Ele não teve uma figura paterna, e no entanto, tem uma ideia extremamente idealizada do que é ser homem, que ele pratica em si mesmo com zelo, como por exemplo, ser corajoso, heroico, honesto, sincero, leal para com os amigos, humilde, sempre pronto a ajudar e socorrer quem necessita, gentil e condescendente com as mulheres, e vários outros clichês que não vemos no mundo real, mas que meu filho incorpora em sua personalidade como se fossem perfeitamente normais em todo homem. De onde ele tirou tudo isso? Eu infelizmente passo muito menos tempo com ele do que gostaria, pois o local onde trabalho fica longe de casa. Eu ganho pouco, não dá para as contas (nem chega perto de dar), mas minha mãe paga por tudo que precisamos. Meu emprego é uma questão de dignidade, e não necessidade. Mas é um trabalho duro, sou esteticista, cabeleireira, manicure e massagista. Então, repito, de onde ele tirou toda essa personalidade? A TV ensinou? os video-games? Os amigos? (devo mencionar que ele tem poucos. Esse código rígido de conduta que ele assume para si ele impõe aos outros, e aqueles que pisam fora da linha passam a ser vistos por ele como más pessoas. Apenas os poucos que entendem esse aspecto dele e se importam o suficiente para agir de acordo é que conseguem uma amizade de longo prazo com meu filho). É difícil se ver uma criança extrovertida, bonita e inteligente, e que também seja bondosa e defenda os mais fracos. Crianças são cruéis. Um defeito que ele tinha, mas que já está sob controle, era rompantes de violência. Algumas sessões de psicoterapia resolveram esse problema. Em resumo, como uma criança pode formar uma personalidade tão ética, e, mais importante, tão forte, sem ter qualquer referência concreta?

responder ao comentário
sheyla sheyla
Qua, 19/06/2013 - 14h25 - reportar abuso

adolescentes são todos iguais... na mesma hora que estão bem já estão mal, no caso quem tem que ter equilíbrio somos nós pais... bater não adianta,,,, conversar na hora certa sim. Não quer dizer que o diálogo resolva de imediato,,, mas a semente é plantada e não sai da consciência de nossos filhos... Quando explicamos , as coisas ficam mais claras para eles... pois na verdade tudo ao redor diz pra ele se revoltar... filmes, internet. notícias de tv... então temos que amenizar o sofrimento deles,, sendo amigos... dando amor.. carinho e compreendendo o momento difícil dessa fase de transição. Minha filha tem 13 anos,,, já errou muito... creio que com os erros ela irá aprender à fazer melhor suas escolhas futuras.. mas sei tb que terei sempre que orientà-la... Que Deus ilumine cada mãe e cada pai que ler essa mensagem.

responder ao comentário
Mara Mara
Ter, 02/04/2013 - 13h50 - reportar abuso

Tenho uma filha de treze anos que é muito precoce,adora namorar,geralmente rapazes mais velhos e,eu tenho uma eterna preocupação com ela.Somos bem amigas,converso muito com ela,mas,as vezes,ela é muito opiniática e se torna difícl fazer ela perceber que certas situações não cabem para a idade dela como,sair a noite,ficar em festa até altas horas,querer namorar dos ,três rapazes ao mesmo tempo.As vezes,me sinto insegura.Não sei o que falar,como agir,de maneira que não me torne autoritária demais.Ela não é de sair muito,é estudiosa,não me enfrenta,só é muito namoradeira e,nessa fase os hormônios estão muito em alta,um dos motivos das minha preocupação.Gostaria de uma opinião de como lidar com ela sem que ela se ache prisioneira,mal compreendida.

responder ao comentário
maria Rosilene c silva maria Rosilene c silva
Qui, 04/10/2012 - 23h32 - reportar abuso

olá meu nome é Rosilene eu tambem tenho uma filha adolecente de 14 anos que até o momento só tem me dado problemas ela não faz nado do que eu falo só faz coisas errada passa por cima das minhas ordens e o q e pior mente muito eu ja não sei mais o que eu faço ja convercei muito e tambem ja bati muito mais nem uma das minhas atitudes deu certo eu gostaria de que alguem me desse uma orientação pois eu estou no meu limite eu tenho mais 2 filho pequenos para me preocupar só que ela esta me tirando do serio a todo momento eu ja levei na picicologa eu ja ete deixei ela namorar na porta de casa mais de nada adiantou e eu não queria perder minha filha para o estado e se eu não conseguir disciplinar ela o estado vai ter que tomar conta dela eu ja esgotei tudo que era de paciência com ela

responder ao comentário
margareth margareth
Qua, 25/07/2012 - 08h40 - reportar abuso

bom tenho uma filha de 11 anos que esta que rendo namorar,com um menino de 13 e eu nao sei o que fazer.queriam que me ajudasem se deixo ou nao.eu acho que é muito cedo pra mim ela é minha criança ainda,mas tenho medo dela se revoltar comigo e o pai dela.é posivel acontecer isso.ela é uma filha muito boa.e eu nao quero nada de ruim pra ela.agradeço se me responderem.obrigada

responder ao comentário
neli lopes neli lopes
Dom, 15/07/2012 - 17h22 - reportar abuso

como já falei antes,minhas filhas com eu,acho que ñ tiveram adolescia,isso é a maior frescura,hj em dia por qualquer coisa mandam para pscologo,o meu psicologo sempre foi umas chineladas,e tudo se resolvia,pq filho podendo tomar as redeas de tudo,ele toma,não venham me dizer que só com converssa tudo se resolve,sempre fui amiga das minhas filhas,converssei sobre tudo com elas,meu filho porém tem 12 anos,e vebho lutando com ele na escola faz tp,ele é uma criança carinhosa,mas quando quer sabe ser cruel comigo,mas revido sempre,ele tem tudo oq quer,nada falta pra ele,então pq eu tenho q ceder??penssem bem,se tu faz tudo por um filho e ele ñ da valor,é pq já nasceu com um sangue ruim mesmo,e ñ tem psicologo q de jeito nisso,eu vou lutar por meu filho,mas se ñ der certo,vou entregar ele pro conselho,eu fiz tudo oq estava ao meu alcance,vou sofrer,ñ nego,mas vou estar de conciencia tranquila,se a Mãe ñ educar,a vida se encarrega disso,e da forma mais cruel q existe...

responder ao comentário
neli lopes neli lopes
Sáb, 19/05/2012 - 20h15 - reportar abuso

para a amiga Andressa Lemos.Eu se ñ existe fórmula para criar filhos,criança quando nasce ñ vem com manual de instruções,eu só comentei pq fiquei penalizada com aquela Mãe,no meu ponto de vista todas as Mães querem o melhor para seus filhos,a gente da atenção,amor carinho e ainda tenta satisfazer todas as suas vontades,eu sou Mãe de 4 filhos,3 meninas,q por sinal nunca me deram trabalho algum,acho q como eu ñ passaram por problemas de adolescencia,já meu menino q tem 12 anos quer tomar conta de tudo,se facilitar ele esta me batendo,isso nunca aconteceu,mas se for o caso,entrego ele pro conselho,pq nunca deixei faltar nada,dedico todo tp possivel a ele,já q as meninas ñ moram mais comigo,amo ele demais,mas ñ permito falta de educação e nem agressividade de filho,nenhuma Mãe merece isso,depois de tudo oq uma Mãe passa desde a gravidez até essa tal de adolescencia,que para mim é um pouco de provalecimento deles,como ja disse antes,quando eu era criança ñ existia essa frescura de psicólogo,umas boas chineladas resolviam tudo,agora qualquer coisinha mandam para psicólogo,e a gente continua sofrendo pq o individuo esta na adolescencia,para aí gente,esse negocio tem q mudar,quem tem o direiito de berrar e mandar em casa são os pais,filho só tem q obedecer e baixar a cabeça já q errados são eles,quem dá o pão dá o ensino,eles tem tudo do bom e do melhor,e ainda acham ruim??oq é isso gente??tem muita criança abandonada q se tornam pessoas de bem,e os nossos tendo tudo,se ñ tivermos pulso forte,vão se tornar uns marginais,chega um momento q só carinho e conversa ñ adianta mais,então algo mais rigido deve ser feito,e meu filho ñ vai tomar as redeas de tudo pq eu ñ vou deixar,mesmo pq eu o amo demais,e essa ñ é uma atitude correta de uma criança,ele tem q ter limites agora,e se ñ for por bem vai ser por mal,para mim essa decisão q tomei,tb é uma forma de amor,pq a vida ensina de uma forma bem mais cruel do q uma MÃE!!

responder ao comentário
gicele gicele
Sex, 18/05/2012 - 16h00 - reportar abuso

oi tenho uma filha de 13 anos é uma adolecente rebelde sem causa. Vive em um turbilhão de sentimento,quando eu acho que esta tudo indo bem ....NÃO ai tento de tudo dialogo sempre mais parece que estou conversando com as paredes.Não consigo entender nada nunca.Ela esta mudando suas vestimenta se maquiando, mas ao mesmo tempo acha as amigas muito rapidas em ficar e realmente ja conversi e isto ainda não amadureceu.ela ainda brinca de boneca entre outras.Sei la parece que ela luta para não crescer e ao mesmo tempo luta para que seja tratada como adulta. Via rapido da alegria a tristesa rapido. Não presta tenção ta sempre viajando.Certa vez fiquei tão grilada com isto que a levei em um medico que apos alguns exames riu de mim e disse que o problema dela era ADOLECENCIA. O fase maluca... Eu tive minha fase mais dentro do mundo que criei só para mim,sem problemas ou confusoes com meus pais. Casei cedo com primeiro namorade tive ela e vivo feliz ate hoje.Já o pai dela é com ela um mala ele não quer nem entnder sua rebeldia. Para ele não existe frescura. Eu tento no meio disto ajudar mais é dificil.

responder ao comentário
gicele gicele
Sex, 18/05/2012 - 15h38 - reportar abuso

Bom estou co uma rebelbe sem aparente motivo!!! E muito dificil uma explosao de sentimentos todos misturados.Quando acho que estou indo bem pronto é porque eu não entendi nada.Minha filha quer crescer mais tem medo dos modismos,do tipo ficar beijar ela esta vendo suas amigas da mesma idade ja ficando e acha tudo muito rapido.Mas quer se maquiar andar na moda.horas quer brincar com suas barbye.Ja mudou suas vestimentas quer depilar suas pernas e pintar o cabelo. Mas tambem não tem muita higiene tem que cobrar é ua loucura.bom eu fui muito vigiada na minha adolecencia. Estou procurando livros ou conselhos para tentar entender tudo isto pois minha fase de adolecente eu era muito meu mundo sem dar problemas para meus pais. casei cedo com primeiro namorado e estou bem com ele ate hoje.

responder ao comentário
maria lucia pereira maria lucia pereira
Ter, 15/05/2012 - 22h20 - reportar abuso

tenho um filho de quinze anos ele quer ficar na internet a noite toda se eu nao deixo ele fica nervoso ja esta namorando pela internet o que faço a menina que namora mora no Mato Grosso Do Sul.

responder ao comentário
Veja mais comentários

Especiais Vila Mulher

VILACLUB - O conteúdo da rede do Vila Mulher

Top Temas

50 tons de cinza beyoncé 50 tons de cinza casamento
X
Vacinação contra o HPV em meninas: saiba tudo!
Vacinação contra o HPV em meninas: saiba tudo! Veja aqui por vilamulher