Bebê chora ao ouvir a mãe cantar

qua, 30/10/2013 - 21h36

Bebê chora

Foto: Reprodução/ Youtube

Esta semana as redes sociais foram bombardeadas por um vídeo que tem arrancado lágrimas de muitas pessoas. Com apenas 10 meses, bebê chora e se emociona ao ouvir sua mãe cantar "My Heart Can't Tell You No", sucesso do cantor Rod Stewart, de 1988.

A pequena Mary Lynne Leroux já virou o maior sucesso na internet e boa parte das pessoas que compartilham o vídeo justificam o ato alegando que choraram com a reação do bebê.

O neurologista Pedro Breinis conta que, segundo estudos, as emoções do bebê começam a se formar já no pré-natal. "Acredita-se que o bebê, entre cinco e seis meses de gestação, já é capaz de ter emoções. A mãe que conversa com a criança ainda na barriga acaba ajudando nesse processo."

O sistema límbico, localizado na parte medial do cérebro, é responsável por controlar as emoções e também participar das funções de aprendizado e memória do ser humano. É a partir dele que a neurociência estuda os sentimentos da criança e sua atenção cognitiva. "Não existe uma idade para que as emoções se manifestem. Sentimentos como tristeza, ansiedade e alegria são traduzidas aos poucos pela criança", explica Dr. Pedro.

Todos os sentidos em conjunto são responsáveis por despertar as emoções dos pequenos. No caso do vídeo, o som chama a atenção da criança, mas é fato que ela se interessa também pela origem dele e fica hipnotizada ao olhar para a mãe.

"O vídeo peca porque não mostra a pessoa que está cantando, que é justamente para onde o bebê olha. A gente não sabe qual o semblante da mãe. Eu percebo que a criança apresenta emoções positivas e negativas. Quando a mãe canta o refrão e aumenta o tom de voz a criança chora mais, parece assustada, e quando o som fica mais brando e, ao final do vídeo, quando a mãe fala carinhosamente, a criança sorri, parece mais confortável", analisa o neurologista.


A professora Tereza Raquel Alcântara-Silva, Coordenadora do Curso de Graduação em Musicoterapia da Escola de Música e Artes Cênicas da Universidade Federal de Goiás tem a mesma opinião do neurologista e pensa que o vídeo traz poucos elementos para definir que o choro da criança é de emoção.

"Não existe apenas o estímulo auditivo, existe o visual também, do qual não temos acesso. Não sabemos qual a postura ou a expressão facial da mãe ao cantar. Muito menos quantas vezes a criança já ouviu essa música ou em quais circunstâncias", avalia. "O choro da criança me pareceu de desconforto, mas não podemos afirmar porque não temos acesso a todos os elementos da cena."

Tereza diz que a voz da mãe pode ser familiar para a criança, mas a voz falada é bem diferente da cantada, o que pode causar estranhamento. "A audição de um bebê é muito sensível. Sem contar que as pessoas, de uma maneira geral, têm uma relação de fantasia com a música. Mas temos que lembrar que a música pode também é capaz de trazer lembranças ruins. Por conta dessa falta de histórico do bebê do vídeo com a canção específica, fica difícil afirmar que o choro foi de emoção", finaliza.

*Serviço:

Dr. Pedro Breinis, neurologista.

Tereza Raquel Alcântara-Silva, Coordenadora do Curso de Graduação em Musicoterapia da Escola de Música e Artes Cênicas da Universidade Federal de Goiás.

Juliana Falcão (MBPress)

Assuntos relacionados: bebê chora mãe cantando vídeo bebê

NENHUM COMENTÁRIO NO VILACLUB

Comente!

Especiais VilaMulher

Quiz de Celebridades!

Quem é mais jovem?

VILACLUB - O conteúdo da rede do Vila Mulher

Top Temas

gravidezamamentaçãopartoauxílio maternidade