Cólicas nos bebês: livre-se delas!

ter, 30/06/2009 - 05h13

Cólicas nos bebês

Desde que o pequeno Henrique nasceu, há dois meses, Patrícia segue a mesma rotina: banho relaxante, fraldinha e roupa trocadas, além da amamentação. Mesmo com tudo em perfeitas condições, o bebê insiste em chorar, para o desespero da professora.

Algumas mães não associam o choro com a cólica, comum até os três primeiros meses. Dores no abdome que não tem uma causa exata, mas sim uma série de fatores responsáveis por este incômodo presente em pelo menos 75% dos bebês no início da vida.

Para ter certeza de que é cólica, Jorge Huberman, pediatra e neonatologista do Hospital Albert Einstein explica às mamães:

“Vá por eliminação: o bebê está com fome? A fralda está molhada? Está com calor? Com frio? Se essas possibilidades forem descartadas e o choro continua é grande a probabilidade de ser cólica. Além disso, há algumas características específicas: o bebê se contorce, o rosto fica vermelho e com expressão de dor, as mãos se fecham e o choro estridente parece inconsolável. Em muitos casos, as crises costumam acontecer no mesmo horário - à tardinha ou no início da noite”.

Conforme o pediatra, as cólicas acontecem principalmente porque os sistemas gastrintestinal e nervoso central, que controlam as contrações do intestino, ainda são muito imaturos. “Como o processo de formação e funcionamento desses mecanismos ainda não está completo, ocorrem movimentos intestinais descoordenados que acabam provocando as dores”, esclarece.

Uma das formas de evitá-las é mudar alguns hábitos quando for amamentar o bebê. Nessa hora é importante estar em uma posição confortável e ambiente tranqüilo, se possível colocar músicas relaxantes.

Uma das recomendações de Huberman é verificar se a fralda não está muito apertada e, principalmente, controlar a entrada de ar nas mamadas, feita de dez em dez minutos. Entre esse período, a mãe deve estimular o arroto do bebê. “Ao alimentar seu bebê, tente segurá-lo em uma posição ereta para que o ar fique acima do leite no seu estômago. Isso ajudará seu bebê a expulsar o ar quando arrotar”, indica.

No caso da mamadeira é importante observar o tamanho do furo no bico. “O leite deve pingar lentamente quando a mamadeira ficar de cabeça para baixo. Se o furo for muito pequeno ou muito grande, seu bebê pode ingerir muito ar enquanto estiver mamando”. E durante o dia, massagens ou mesmo compressas de água morna na barriguinha ajudam a aliviar o desconforto.

Por enquanto não existem pesquisas comprovando que a alimentação da mãe interfere nas cólicas, mesmo assim os pediatras indicam restringir alguns alimentos como chocolate, cafeína, melão, pepino, pimentão, frutas e sucos cítricos, além dos alimentos condimentados.

“Nem sempre o mesmo alimento provoca cólicas em todos os bebês. Por isso, é muito importante fazer tentativas para descobrir. Você pode eliminar vários produtos da sua dieta ao mesmo tempo ou ir eliminando um por um até encontrar o culpado”, recomenda.

Depois de longos três meses é quase certo que as cólicas já tenham desaparecido. Quando começar a usar as papinhas na alimentação, o pediatra aconselha apenas restringir os alimentos que possam levar a refluxo, excesso de fermentação ou até alergias.

leia também


Por que o bebê está chorando?

Mães que ficam em desespero quando o bebê chora agora contam com ajuda de um simples aparelhinho chamado de Why Cry (Por que chora, em inglês), uma ideia dos japoneses. Depois de ligar o produto e aguardar vinte segundos ao lado do bebê, o equipamento analisa o choro com um índice de acerto de 98%. O aparelho, que custa cerca de R$ 250, é vendido através do site www.whycry.com.br, mas por enquanto não está disponível no estoque. Você precisa fazer a solicitação por e-mail.

Why Cry

Why Cry. Foto/Divulgação

“Basta ligar o aparelho e colocá-lo a uma distância entre 50 centímetros e 2 metros, segundo o peso do bebê. O aparelho faz a análise do choro em 20 segundos, acendendo "rostinho" do ícone correspondente ao motivo do choro. Passado 1 minuto, automaticamente, o aparelho volta ao modo de espera para uma nova análise", explica.

Por Juliana Lopes

3 comentários no Vilaclub

Comente!
PAULA
quin, 02/02/2012 - 13h27 - reportar abuso

minha filhinha tem dois meses e meio,e as cólicas já diminuiram,mas ontem me ensinaram a fazer um chá de salsa.é só ferver um pouquinho as folhas ,melhor se for com raiz e colocar uma pitadinha de bicarbonato,(coisa muito,muito,muito miníma),e dar uma vez ao dia.é tiro e queda.vou fazer a experiência hoje.boa sorte a todas,muito amor e paciencia.

responder ao comentário
Gabriela
sex, 15/07/2011 - 17h24 - reportar abuso

Tenho mais uma dica que ajuda a aliviar a cólica e ainda relaxam o bebê: as almofadinhas anti-cólicas. Elas são feitas com ervas aromáticas e podem ser levadas no microondas, ajudam as mamães a enfrentar esse momento difícil. Segue o link para quem tiver interesse: http://www.euamomeubebe.com

responder ao comentário
Cristiane silva de oliveira
quin, 30/07/2009 - 17h31 - reportar abuso

Gostaria de saber o que faço para aliviar as colicas do meu bebe , ja deu funchicoria , chá de erva doce, flagasbaby e nada alivia , ele chora tanto que fico ate preocupada Por favor me ajudem,

responder ao comentário
Regilene
qua, 18/08/2010 - 21h12 - reportar abuso

Já viu se ele não está com dor de ouvido. A cólica pode provocar dores de ouvido também. Então vc fica tratando somente a cólica e não sabe que existe outro problema...isso aconteceu comigo.

Especiais VilaMulher

Quiz de Celebridades!

Quem é mais jovem?

VILACLUB - O conteúdo da rede do Vila Mulher

Top Temas

50 tons de cinzabeyoncé 50 tons de cinzabolo de cenourabolo de chocolatecabelos curtoscortes de cabeloescova progressivamaquiagemtrançasunhas decoradas