Especial de Páscoa

O dilema do bebê no quarto dos pais

Ter, 10/03/2009 - 14h22

O dilema do bebê no quarto dos pais

Sandra e Luis resolveram se casar assim que gravidez, já planejada, aconteceu. Nos nove meses de preparação, planejaram como seria a vida depois que os dois virassem três. Mas Gabriel nasceu e muito do sonhado não era tão azul-bebê. Ele já tem um ano e os pais não conseguem tirar o menino do quarto do casal, mesmo com o de Gabriel todo preparado especialmente para ele.

Publicidade

Não há quem faça o pequeno dormir por lá.

Para a psicóloga Célia Maria de Souza Terra, muito disso é culpa dos próprios pais, que o mal acostumaram desde recém-nascido. "Os bebês não devem ir para o quarto dos pais, nem quando bem pequenos. Isso tira a privacidade dos pais e pode dificultar o desenvolvimento independente da criança".

Se os pais insistem em ter os recém-nascidos por perto, Célia diz que um mês é o suficiente. Mais velhos do que isso, ela aconselha já levar a criança para o próprio espaço. A psicóloga, que faz parte do Departamento de Psicodinâmica da Faculdade de Psicologia da PUC-SP, entende que não há fórmula exata de educação, mas acredita que o filho não deve ser usado como uma "barreira" no meio do casal. "Muitos dizem que continua tudo normal, que têm relações sexuais depois que os filhos dormem. Mas há sempre o risco de a criança acordar. E como ela não entende o ato, pode até achar que há violência e dor no quarto".

Fora isso, ela lembra que, mesmo dormindo, o sentido da audição permanece.
E se, como no caso de Sandra e Luis, Gabriel não consegue mesmo dormir no quarto ao lado? "Será mesmo que não consegue - ou os pais não sabem como suprir uma necessidade dele?", questiona. É preciso ter paciência e tolerância bem desenvolvidas para aguentar o choro do bebê e saber como agir. "Chamamos isso de continência, ou seja, perceber o sofrimento, não sofrer junto e achar uma solução".

Como muitas famílias brasileiras crescem mais do que as condições financeiras, e muitos casais tem mesmo que dividir o quarto com os filhos, a dica de Célia é que os pais sejam criativos. Uma cortina ou mesmo outro móvel por separar o ambiente e dar para cada lado, a privacidade de que necessitam.

Por Sabrina Passos (MBPress)

12 comentários no Vilaclub

Comente!
Priscilla Priscilla
Sáb, 22/01/2011 - 00h57 - reportar abuso

Bem, meu filho tem 1 ano e três meses, e dez de que ele nasceu dorme comigo e conosco na cama. Agora já esta desconfortavel porque ele esta grande, mas ele não quer ficar sozinho no berço no quarto dele, e como pais nós temos pena de deicha -lo chorando, mesmo que ele durma na nossa cama e depois colocamos ele no berço ele se acorda porque sente que está dormindo sozinho e nos chama e chora. Fazemos qualquer sacrificio pelos filhos, mesmo que seja dormir mau, ele dormia comigo na mesma cama dez de a maternidade pq ele tinha cólica daí eu segurava a mãozinha dele e o deichava bem encostadimho em mim e ele dormia tri bem. Eu não to nem ai pro que dizem esses especialistas, crianças precisam de carinho, respeito, atenção e limites e pra tudo existe tempo certo inclusive para sentir- se seguro o suficiente para dormir sozinho.

responder ao comentário
Karen Karen
Sex, 30/07/2010 - 13h05 - reportar abuso

Santa ignorância desses psicólogos! Estão COMPLETAMENTE POR FORA do que a ciência hoje em dia tem mostrado a esse respeito. Dormir junto com os bebês é mais do que uma necessidade natural deles, que nascem totalmente dependentes, como completamente saudável para o densenvolvimento emocional, e conquista da futura independência! --- Por causa de profissionais mal informados como esse, que hoje em dia temos tantas pessoas com depressão e outros problemas psiquiátricos no mundo!

responder ao comentário
gleici gleici
Seg, 17/05/2010 - 11h42 - reportar abuso

tenho uma filha de 8 meses e ela nao gosta de ficar no berço e ainda nao tenho um quarto pra elapor que moram mas casais comigo oque fazer nessa hora?

responder ao comentário
Patricia Lourenço Cecchin Patricia Lourenço Cecchin
Ter, 24/11/2009 - 14h06 - reportar abuso

Tenho uma filhinha que tem 3 anos, e tem asma. Antes dormíamos na mesma cama de casal, agora tem sua cama, mas ainda no mesmo quarto - as camas são "grudadas" uma na outra. Sou mãe solteira e moramos sozinhas desde que ela nasceu. Como trabalho fora, nunca tive saúde para colocá-la em outro quarto e levantar sempre que precisava, o que já foi várias vezes. Não é fácil sem ajuda alguma, nem da família. Por isso, ela dorme comigo, apesar de pessoas dizerem que não é bom. Não vejo mal algum nisso... Será que ela virá a ter algum problema devido a isso?

responder ao comentário
Seg, 11/05/2009 - 16h36 - reportar abuso

Minha filha tem quese 4 anos, e todos esses anos ela dormiu comigo na cama, já que sou mãe solteira, não tenho o problema de ter que dividir o quarto com algum outro homem.
Tem algum problema na sua formação deoixa-la dormir comigo?

responder ao comentário
Qui, 12/03/2009 - 09h28 - reportar abuso

Meu filho vai fazer 3 anos tbm dorme no mesmo quarto conosco. Como meu marido trabalhava á noite sempre dormia comigo, agora que ele está em casa o pequeno não quer saber de sair da cama, e temos umas conversas com ele mas tá difícil. ele acha que a cama é dele e que quem tem a obrigação de dormir na cama de solteiro é o pai. Já ficou até doente quando tentamos impor o certo pra ele. Por enquanto dormimos os três juntos pelo menos depois da metade da noite... Seio que é errado mas meu coração é muito molóide pois eu sei que essa fase vai passar ele vai crescer e eu não terei mais o meu bebê.

responder ao comentário
Ter, 10/03/2009 - 20h55 - reportar abuso

Tenho 2 filhos, um c 10 e outro c 3 anos. Ambos foram p seus quartos desde q nasceram . Diziam q eu era doida, desnaturada.... capaz.... qdo doentes, a gte até hj inverte, aquele q ta doente vem pra nossa cama comigo, e o papai vai pra sua cama. Mas é temporário... ficou bom, volta pro seu quarto. Claro, q quase q tds os dias a mamãe tem q ir deitar c cada um deles... até dormir... mas acho q isso é natural de mãe. Acho q isso só ajudou, ambos são bem donos de si.

responder ao comentário
Ter, 10/03/2009 - 18h55 - reportar abuso

Tinha muito medo que acontecesse, de minha filha não querer sair do quarto quando ficasse maior. Achei a solução sem sofrimento e sem culpa, comprei uma babá eletronica. Além de eficiente vc se sente segura porque escuta até a respiração do bebê. Hoje minha filha está com 15 anos e usei por longos anos, quando estava doente, escutava ela tocir, gemer, acordar, enfim é muito prático.

responder ao comentário
Ter, 10/03/2009 - 18h12 - reportar abuso

Meu bebê já está com 1 aninho e até hoje dorme comigo,meu marido fica com dó de deixar ela dormir sozinha no quartinho dela,com o meu mais velho foi a mesma coisa,o que devo fazer?me ajudem...

responder ao comentário
Ter, 10/03/2009 - 17h57 - reportar abuso

Este é um dilema que divide opiniões e culturas. Mas eu ainda sou da opinião que um bebê, desde pequeno, deve ter seu cantinho (se isso for possível, claro!). Também sou da opinião que é importante a mãe estar por perto. Então, o que fiz na primeira gravidez? Dormi no quarto do meu filho por 3 meses, até adquirir confiança de deixá-lo sozinho. Hoje estou grávida e, com a experiência, meus planos são de reduzir este tempo de 3 meses para 1 mês, e utilizar a babá eletrônica. Como desperto fácil, qualquer gemida do pequeno estarei atenta!

responder ao comentário
Veja mais comentários

Especiais Vila Mulher

Especial de Páscoa

VILACLUB - O conteúdo da rede do Vila Mulher

Top Temas

artesanato bolo de cenoura bolo de chocolate cabelos curtos cortes de cabelo emagrecer enfeites de natal lembrancinhas chá de bebê maquiagem moda verão 2014 orgasmo pensão alimentícia penteados penteados para madrinhas posições de sexo posições sexuais unhas decoradas vestidos