Especial de Páscoa

Descobri que meu filho roubou, o que fazer?

Qua, 25/04/2012 - 09h39

Descobri que meu filhos roubou o que fazer

Uma das situações com que muitos pais se deparam na primeira infância é o aparecimento de pequenas coisas, como canetas ou brinquedos, que normalmente são justificados pelos filhos como presentes. Mas como saber se a criança realmente ganhou ou se roubou do amiguinho.

Publicidade

Pior, como lidar com essa situação? Antes dos 6 anos, a criança rouba inconscientemente. Egocêntrica por natureza, acredita que seja normal fazer o que tiver vontade: se gosta de algum objeto, basta pegá-lo.

A personalidade do indivíduo está em plena construção, pois o pequeno ainda não sabe exatamente diferenciar o certo do errado. Cabe aos pais ensinarem os conceitos morais e as regras de convívio em sociedade para os filhos, através de bons exemplos e com algumas lições.

A psicóloga Ana Cássia Maturano afirma que os pais devem ter uma política clara em relação à desonestidade das crianças: não devem exigir confissões, nem fazer perguntas que dêem oportunidade a novas mentiras. Porém, ignorar não é a melhor saída.

O ideal é a conversa franca e o diálogo aberto. "Se você tem certeza que seu filho tirou R$ 10,00 da sua carteira, não pergunte se ele mexeu na sua carteira. Diga-lhe com firmeza que você sabe que ele pegou o dinheiro, peça de volta e explique que ele deve pedir quando precisar", explica a especialista.

Segundo a especialista, é importante não fazer perguntas quando já se sabe as repostas. Ao se sentir acuada, a criança pode criar uma nova mentira, aumentando o risco de uma reação agressiva por parte do adulto, que, naturalmente, fica nervoso com a situação.

"Alguns pais, confusos quando o filho nega o roubo, reagem insultando-o de ladrão ou mentiroso. Uma reação tranquila, porém firme, leva a criança a confiar no adulto e a aprender que não tem necessidade de mentir. Além disso, é importante que se crie, com a criança, uma forma de repor aquilo que pegou", conclui a especialista.


A atitude também pode ser uma forma da criança chamar a atenção dos pais para algo que não está bem, que pode estar com problemas. A conversa sincera, para deixar claro para os filhos as consequências do roubo, é a melhor medida para enfrentar a situação.

Por Carmem Sanches

Assuntos relacionados: criança educação pais roubo bons exemplos

1 comentário no Vilaclub

Comente!
PAULA PAULA
Qui, 11/04/2013 - 23h31 - reportar abuso

Olá.
Meu nome é Paula e tenho um filho de 12 anos que roubou dinheiro dentro de casa. O caso é que eu tenho um tio, irmão da minha mãe que por motivos de saúde teve que vir morar conosco em casa, eu moro e sempre morei com a minha mãe e meu filho. Meu tio ocupa o quarto do meu filho que hoje dorme comigo no meu quarto, e meu tio é um senhor bem rude e grosseiro, não é mau, é mal educado, e nós em casa não estávamos acostumados com isso. Há um ano eu comecei a namorar um rapaz que já fazia parte do vinculo de amigos ha 16 anos, e meu filho ja o conhecia, e eles se dão bem. Mas há seis meses eu engravidei e perdi o bebê, e agora engravidei e perdi o bebê de novo, quando eu engravidei nas duas vezes falamos em nos juntar e tal, e meu filho sonha em ter uma família assim, pai, mãe e filhos em uma casa. O pai do meu filho é uma pessoa que usa cocaína e meu filho sabe, porque ele ja vendeu até as coisas do meu filho, e meu filho tem vergonha do pai, porém tem um contato quase que diário. Na semana passada sumiu 150 reais da carteira do meu tio, e nessa semana sumiu 300 e no dia seguinte mais 100 reais, mas meu tio só falou com a minha mãe quando deu falta dos 300 reais porque ja era a segunda vez, mas só estavamos nós em casa e nunca desconfiamos do meu filho, no dia eu falei com ele por desencargo de consciência, pois acho que é muito dinheiro para uma criança de 12 anos roubar. No dia seguinte em que faltou mais 100 reais eu liguei para um amiguinho de escola do meu filho e perguntei se ele havia levado o dinheiro que eu havia deixado em casa para ele pagar a cantina, e o menino confirmou que meu filho estava com o dinheiro, a escola do meu filho é padrão alto, mas eu não possuo esse padrão, eu estou desempregada e o pai do meu filho é um vagabundo que nunca parou em emprego nenhum e nunca pedi pensão por medo da influência dele. Pois meu filho só sai ou fala com o pai se eu deixar, mas como tive esses problemas de saúde acabei precisando mais da presença do pai dele, para buscar na escola e tal. Meu filho nunca havia cometido um ato desses, ele é muito mentiroso, mas gosta de inventar histórias de brigas, que bateu em fulano, que fulano brigou com beltrano, coisas assim. Ele é diagnosticado com TDAH, Dislexia e Disturbio auditivo central pela ABD e outros médicos. Quando eu o confrontei ele acabou assumindo, com muito custo que pegou esse dinheiro, gastou apenas com besteiras, pagando presente para amigos, comprando caneta, lanche e etc...
Eu sou bipolar e tenho crises frequentes, não sei o quanto minhas crises podem influenciá-los, mas estou desesperada com vontade de sumir e morrer, me sentindo um lixo como mãe.
Por favor, me diga o que devo e posso fazer???

Obrigada.

Paula.

responder ao comentário

Especiais Vila Mulher

Especial de Páscoa

VILACLUB - O conteúdo da rede do Vila Mulher

Top Temas

artesanato bolo de cenoura bolo de chocolate cabelos curtos cortes de cabelo emagrecer enfeites de natal lembrancinhas chá de bebê lembrancinhas de natal maquiagem moda verão 2014 orgasmo pensão alimentícia penteados penteados para madrinhas posições de sexo posições sexuais unhas decoradas vestidos