Traição - relato de uma esposa e amante

ter, 15/09/2009 - 09h26

Traição  relato de uma esposa e amante

Os números mostram que a cultura sexual é mais liberal no Brasil. Para se ter uma ideia, em países como Estados Unidos, França e Itália, cerca de 3,7% dos homens e 3,1% das mulheres confessam que alguma vez na vida traíram seus parceiros, conforme o livro "Na ponta da língua", da jornalista americana Pamela Druckerman. Isso nem chega perto dos casais brasileiros. A última pesquisa divulgada pelo Ministério da Saúde sobre comportamento sexual informou que 21% dos homens casados ou que vivem com companheiras e 11% das mulheres na mesma situação disseram ter relações sexuais extraconjugais.

Entre essas mulheres que "pulam a cerca", algumas confessam que chegam a ter um único caso extraconjugal por anos, mais que isso, são amantes ao mesmo tempo. É o caso da socióloga Cláudia*, de 45 anos. Ele conheceu o amante durante a época de faculdade e logo depois veio o casamento com outro homem. Passado algum tempo, eles voltaram a se encontrar. "Nós nunca pensamos em casar um com o outro, ele é casado e eu também", diz.

Não se trata de um relacionamento aberto, Claudia conta que o seu marido é uma pessoa bastante conservadora em termos de valores e nunca aceitaria essa condição. Bem resolvida com a situação, afinal já são 10 anos com o amante e 20 anos com o marido, ela diz que não buscou outra pessoa por conta da rotina do casamento. "Pode ser que para algumas pessoas isso aconteça, mas não no meu caso. Digamos que o meu amante é o lado leve de minha vida e eu da dele, sem cobranças. Gostamos da companhia um do outro nem que seja para simplesmente tomar um café juntos sem que haja necessariamente sexo envolvido naquela hora", diz.

Para a socióloga, afinidades e profissão em comum são um estímulo para que o relacionamento dê certo. "Antes de mais nada e acima de tudo somos muito amigos. Vivemos essa relação sem culpas ou remorsos porque ela em absoluto interfere em nossas vidas conjugais, não casamos eu e ele porque nunca quisemos, nosso relacionamento sempre existiu dessa forma". A questão também não envolve sexo, pois Cláudia revela que é feliz sexualmente no seu casamento, situação que também acontece com o amante. "E ele também é muito feliz ao lado da mulher com quem casou", acrescenta.

A paulistana afirma que durante esses anos de convívio com marido e amante, o sentimento de culpa não fez parte de sua vida. Tanto que algumas de suas situações e aventuras amorosas até serviram de inspiração para escrever contos eróticos e publicá-los em seu blog "As transgressões femininas" (http://astransgressoesfemininas.blogspot.com/).

A interação via rede, por meio de debates com as pessoas que acessam o blog, é uma forma de Cláudia colocar em prática o que ela gosta de fazer, escrever histórias eróticas. Muitas ideias veem dos leitores, textos que se transformam em contos. "O blog tem relatos de minhas aventuras com meu amante, histórias com o meu marido". Para ela, escrever uma forma de despertar nas pessoas sentimentos e sensações. "É fazê-las pensar, mudar conceitos, opiniões é uma forma de tentar acrescentar algo de bom na vida delas, é um convite à transgressão não no sentido pejorativo que muitas pessoas dão a essa palavra, mas no sentido de transgredir pensamentos e fomentar novos pensamentos".

Na opinião da socióloga, muitas pessoas associam a traição à hipocrisia. E chegam a confundir o que é realmente amor ou sentimento de posse. "Quem ama deixa livre. Não acredito quando as pessoas falam: perdi o fulano ou a fulana para tal pessoa. Não concordo". Cláudia observa que os casais sentem na traição a dor do amor próprio ferido, mas não por perder o outro.

"Conheço casais que são infelizes no casamento, mas não tem coragem de sair da relação. Mulheres e homens vontade de ter um amante, mas não tem coragem, sabem que o relacionamento acabou pelo menos para um deles e mesmo assim procuram manter de qualquer forma transformando o que um dia foi bom em uma tortura mútua, em nome de que?".


Os motivos? Todos sabemos que são inúmeros: regras sociais, medo da reação dos outros, principalmente da família e amigos. Um desprendimento ainda difícil de encarar e para muita gente difícil de aceitar, ao contrário de Cláudia. "São medos que nos travam e não permitem que sejamos felizes, e ainda fazer quem está ao nosso lado feliz. Isso sim para mim é hipocrisia", finaliza.

Por Juliana Lopes

72 comentários no Vilaclub

Comente!
ana
sab, 05/07/2014 - 17h29 - reportar abuso

Que coisa mais lastimável, tenho 25 anos de idade e vejo a cada dia a moral e os bons princípios serem pisoteadas pela hipocrisia. Se uma mulher ou um homem não consegue se manter em uma relação fiel, sugiro que não se comprometa! viva então na boemia, cada dia com um parceiro diferente, sem cobrança, sem mentiras sem enganação!. O grande problema do ser humano é que ele assume não ser perfeito, mas quer que todo o resto seja,e fica inventando modinhas banais e desculpas para sua falta de caráter e amor próprio. Uma relação é feita de altos e baixos, coisas boas e ruins, você estar com alguém, dividir sua vida com alguém, requer essa troca, de respeito e carinho. Não foi isso que Jesus nos ensinou, e sim amai ao próximo como a ti mesmo, e não façais ao outro o que não gostaria que fizessem á ti. Que palhaçada é essa? A definição que estão dando a palavra amante já é errada, amante é o que se diz de alguem que ama: AMANTE DA NATUREZA, AMANTE DE BONS LIVROS, AMANTE DA VIDA. O termo em que tem sido aplicado essa palavra é bastante equivocado, já que tratando - se desta banalidade de traição, o amante é o tipo de pessoa que não ama nem a si mesmo, que dirá poderá amar o proximo? BASTA!!! parem de divulgar esses títulos inúteis, reflexos de vidas vazias e sem significado.

responder ao comentário
claudiosorocabasp
qua, 02/07/2014 - 10h35 - reportar abuso

Moro em Sorocaba/SP, sou educado, culto, corpo musculoso, rosto bonito, pele clara e quero encontrar mulher fogosa e/ou casal cujo marido queira ver a esposa com outro homem.Gosto de longas preliminares, demoradas penetrações para a parceira se sentir saciada.Sou cheiroso, não quero envolvimento financeiro/afetivo nem promiscuidade. claudiosorocaba@bol.com.br Traga sua esposa que a farei gozar e vc vai se sentir orgulhoso

responder ao comentário
JOLE MOU
quin, 26/12/2013 - 17h33 - reportar abuso

Não acho que isso seja tão certo assim como dizem.Adultério é pecado e a Bíblia, fonte de da sabedoria de Deus, em Provérbios 6 fala disso, e sempre que ela se refere ao adultério é sempre o recriminando e dizendo que Deus não está de acordo com isso. Ele é a fonte primneira da mora,l e justiça, portanto, sendo ele um ser moral e justo, jamais iria concordar com isso;e todo aquele que isso pratica será julgado por ele. Está escrito que ele julgará todos que se entregam a essas práticas.Portanto, a mulher e o homem que faz isso, sofrerá as consequencias.

responder ao comentário
suely
ter, 26/06/2012 - 14h18 - reportar abuso

Eu acho q para se viver um grande amor ,nao tem condiçoes...tem é q se viver independente do q as outras pessoas acham ou nao!

responder ao comentário
renato bello
sex, 15/06/2012 - 14h39 - reportar abuso

adorei o texto e a sinceridade da autora....porém não gosto dos termos \"traição\" e \"pular a cerca\"....o pular a cerca existem definições mais discretas e traição e muito mais que isso...é por exemplo tirar dos filhos para manter uma amante, roubar merendas de crianças....aliás tambem ao invés do termo \"amante\" poderia se colocar \"namorado\" é muito mais gostoso.....

responder ao comentário

Especiais VilaMulher

Quiz de Celebridades!

Quem é mais jovem?

VILACLUB - O conteúdo da rede do Vila Mulher

Top Temas